25 de jul de 2011

,.,

Então, eu me faço do absurdo, grito, quase exponho as cordas vocais, e ninguém escuta.
Poderia eu ser tão muda a ponto de não conseguir expor, ou eles tão surdos a ponto de não querer ouvir? Não sei, como poderia saber? É uma perdição, que loucura meu Deus.
Me encontre no final, no ínicio, e no meio... A história por si já está uma grande bagunça.

23 de jul de 2011

E do hoje, não espero o tudo do nada e o nada de ninguém.
Mas que inferno, as palavras continuam em tempo e contra-tempo, e eu continuo tentando não me importar com elas. E eu queria que tudo mais explodisse, você e eu, eu e você, e o tanto faz, já não se faz e não me basta.
Nunca vai me bastar nada, é assim que eu sou, insaciavél tanto na vida quanto na morte.
Então, de nada nunca vai valer estar, porque nunca valeu ser.

Amy J. Winehouse (F)



''You know I'm no good.''

If you don't like the rules, don't play this game.

E de tanto ganhar, eu perdi. Eu perdi um eterno amor, eu perdi meu amor, eu me perdi.
Me perdi por não saber encontrar caminhos e por não conseguir alcançá-lo.
Será tão díficil então, chegar na fase final desse jogo?
Mas que jogo alucinante, veja só: machuca e cura, chora e ri, briga e acalma, feliz e triste.
Posso pausar essa insanidade toda?
Não? Não posso?
Então, por favor, tire meu nome de sua lista macabra e pare isso tudo. EU NÃO QUERO MAIS JOGAR.

22 de jul de 2011

FAIL.

E olhe só ela sorriu
Chorou, gritou, e morreu
Morreu feliz, espero eu
Morreu por si, creio eu
Mas não a basta, não me basta
QUERO mais, MUITO mais
Então, me traga
Ou me trago
Trago de cigarro
Então, fume a dor da vida
E a expulse
Depois da loucura, volto pra mim.

(Maria G.)

Maia pra Maria.

"nos Meus breves 19 anos
nunca conheci Amor maior
não existe Resumo ,ou coisa melhor
de coração Inteiro acolhe meu ser
Antes vivo por ti,antes de pensar em morrer."

( Gabriel Maia )

E poderia eu não amar você?

Solo.

Teu em você
Teu eu sem mim
Tua dor meu viver
Meu sofrer teu amor
Minha fala tua língua
Teu sorrir meu querer
Quero estar não por ti
Mas por não conseguir
Ter vida sem mim
E se tu choras, não estás
E se estás, já fê-lo
E se o fê-lo não te basta
Procura em ti, então
Meu apego, meu zelo
Meu tempero, meu corpo
Meu apelo e desapego de dor e raiva
Choras sangue, sal e letra
Digo Adeus e imploro por tanto
Tanto que quero e não tenho
Tanto que quero e não alcanço.
(Maria G.)